Planejamento e Controle da Produção

Um dos maiores problemas nas empresas gráficas é o Set0r de Produção. A grande dificuldade da maioria das companhias que operam com embalagens, por exemplo, é estabelecer critérios que promovam a eficiência necessária para esse setor. Popularmente falando, é um “bate-cabeças” impressionante. O fluxo de materiais, o controle dos insumos, as áreas de produtos acabados, o Departamento de Expedição, etc, são normalmente saturados de controles ineficientes e, às vezes, até inexistentes.

 

Assim, é imprescindível repensar o setor quando alguns sintomas começam a aparecer.
Veja alguns exemplos:

 

  • Quando os pedidos dos clientes atrasam por falta de insumos (papéis, tintas, polietileno, alças, etc);
  • Quando as quebras de produção excedem os parâmetros considerados normais;
  • Quando há constante utilização de horas extras dos funcionários;
  • Quando os produtos são devolvidos pelos clientes por não conformidade com o pedido original;
  • Quando o “clima” da produção está demasiadamente “pesado” e estressado – veja o Artigo “Conflitos internos”;
  • Quando há um turnover fora dos padrões;
  • Quando há constantes defeitos ou quebras de máquinas e equipamentos.
  • Outros fatores poderiam ser relacionados e a lista não é pequena. Mas não há motivo para pânico: existe solução!

 

Hoje existem vários mecanismos técnicos capazes de propiciar um Planejamento e Controle da Produção com extrema eficiência.

 

PCP é o departamento que permite a continuidade dos processos produtivos na indústria. Controla a atividade de decidir sobre o melhor emprego dos recursos de produção, assegurando, assim, a execução do que foi previsto no tempo e quantidade certa e com os recursos corretos. Em resumo, o PCP trata dados de diversas áreas, transforma-os em informações, suporta à produção para que o produto seja entregue na data e quantidade solicitada.

 

Podemos dizer que o PCP estará pronto quando forem respondidas as seguintes questões:

 

  • 1° O que produzir?
  • 2° Quanto produzir?
  • 3° Onde produzir?
  • 4° Como produzir?
  • 5° Quando produzir?

 

Enfim, implantar ou não essa Metodologia pode fazer toda a diferença entre sucesso e fracasso!